Golpe entre ratos, humanos e satanás

Ratos na TV, engravatados, como bonecos de ratos ventríloquos, controlados por ratos pensantes – o elo perdido da evolução. O cão, o inferno e a desgraça.

Ratos no judiciário, de bata, toga e ego inflado, que se acham deuses, os deuses dos ratos, mestre Splinter e o Mickey Mouse da máfia do tribunal dos ratos, repletos de ratos sujos – sorriso na face, dentes salientes e leptospirose como estilo imposto aos outros. É o Batman. O rato voador.

Ratos no topo da pirâmide da estratificação social, e tantos outros infiltrados no meio piramidal de nossa sociedade. Ratos egoístas, recalcados, exclusivistas, derrotistas e golpistas. Ratos que rezam para totens e deuses humanos, travestidos de ratos, por interesses escusos que lhe garantem em suas mentes de ratos, um céu sem ratos.

Ratos de farda e distintivos de ratos, que caçam os não-ratos, por ordens recebidas de ratos, que dizem serem os perseguidos, ratos, sem nunca sequer terem comido queijos mofados.

Faz-se assim uma nação de ratos, que finge ser o outro, um rato muito mais asqueroso que a sua própria identidade.

Faz-se assim – por ordem do grande roedor do norte global – um continente de ratos. É o golpe dos ratos, que invertem a lógica e transformam os outros em ratos de altíssima periculosidade. Ratos que transaram com satanás.

Os ratos querem dançar tango, na Argentina. Os ratos querem dançar samba, no Brasil. Os ratos querem dançar calipso, na Venezuela. Há uma praga de ratos que infestam minha amada latina América.

Pensando bem, coitados dos ratos. Não são os ratos culpados, sempre dentro da má fama que lhes dão. Os culpados, somos nós humanos. Eu, você, Eva, Darwin e Adão.

(Rio Doce/CDU – 19 de fevereiro de 2015)

Advertisements